9 de janeiro de 2012

"Eles não desistiram..."

Eu sei que é notícia antiga e que muitos já devem ter ouvido falar da personalidade de 2011 escolhida pela revista "Time": um anônimo. Não, obviamente não foi o Seu Anônimo, mas, sim, uma figura representativa que levou jovens, no mundo árabe e de outras partes do mundo, como na Europa, nos Estados Unidos e na América Latina a saírem pelas ruas para protestar: "The Protester".

A figura representativa citada é Mohamed Bouazizi, um jovem trabalhador que ateou fogo ao próprio corpo para protestar contra a corrupção em seu país, a Tunísia, no final de 2010, início de 2011. Tal protesto desencadeou a "primavera árabe", levante popular e político, que destronou ditadores como Hosni Mubarak - Egito - e Muammar Kadaffi, Líbia.

A revista justificou sua escolha dizendo que os protestos de rua de 2011, iniciados com a "primavera", mudaram a forma como a política está sendo feita mundo afora, haja vista a queda de ditaduras jurássicas que só tiveram fim, graças à pressão das ruas e daqueles que protestaram e continuam a protestar, exigindo mudanças radicais e políticas pró-cidadãos.

De acordo com a "Time", "Eles discordaram, reivindicaram. Eles não desistiram, mesmo quando as respostas vieram em forma de nuvens de gás lacrimogêneo ou de saraivadas de tiros. Eles literalmente encarnam a ideia de que a ação individual pode trazer mudanças coletivas colossais".

Ou seja, diferentemente de nós, aqui no Brasil, que, há muito tempo, temos dito amém, amém e amém aos mandos e desmandos dos nossos dinossauros corruptos lá do Congresso, das Assembleias e Câmaras Municipais país adentro, sem arregaçarmos as mangas para brigar e gritar, cujo status quo é a regra, OS OUTROS têm dado exemplo e arquitetado mudanças gigantescas.

Precisamos de mudanças coletivas colossais, também. E, para que isso ocorra, uma mudança individual precisa ser desencadeada: levar mais a sério a política que os nossos "políticos" dizem fazer para nos representar.

Fizemos diversas manifestações em alguns feriados, no ano passado, mas a ação foi tão pífia que, bastou chegar o Natal, Réveillon, verãozão, para a galera do país tropical se debandar para a praia, abandonando as palavras de ordem ouvidas nos protestos de 07 de setembro, em Brasília, por exemplo. E com o Carnaval aí na porta, dificilmente haverá a alteração desse cenário.

Aqui, a estação nunca muda e nada se altera. Entretanto, nós, anônimos brasileiros com o poder do voto e do panelaço, e por sermos mais do que os de colarinho branco, poderíamos mudar essa realidade, não? Não para estampar a capa da "Time", mas para estamparmos um Brasil mais bonito pra nós mesmos e para o mundo.

--
Só para lembrar, já assinou o feeds?

Ae, agora sim 5 comentários...

abreumalatinha disse...

O brasileiro as vezes até xinga muito no twitter, mas nas urnas... nada!

Enquanto isso Sarney e tantos outros vão batendo recordes de Mubaraks e Gaddafis...

@abreumalatinha

abreumalatinha disse...

Do que reclamaríamos? Temos o sexto maior PIB...

Brasil: 6º maior PIB,
67º no ranking do acesso a esgoto,
73º no ranking da corrupção,
73º no ranking da desigualdade social,
88º no ranking da educação.

http://abreumalatinha.blogspot.com/2012/01/o-bolo-continua-crescendo.html

Seguindo!

Patrícia Ballare disse...

Belissimo texto!
Continue assim!
=D

Retribua:
http://patriciaballare.blogspot.com/

C.Q.C.M. disse...

O foda é que maioria de nós brasileiros, levamos as coisas na brincadeira, roubos e escândalos de corrupção vira piadinha, programas como CQC é uma prova disso, se diz todo politizado, mas acaba amenizando as corrupções que são cometidas justamente por falar em tom de brincadeira.

Esse povo só se organiza pra fazer passeata em prol da maconha ou de direitos gays, coisas realmente importantes não têm a devida atenção.

E assim segue...

Andy's disse...

hahaha cara, poxa mt bom *-*
goooosteeeei pakaaaas
;)

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

  ©Modificações by Felipe.

TOPO  

BlogBlogs.Com.Br