21 de outubro de 2010

O que vem "de baixo" atinge, sim!

Jornais de bairro não deveriam ser subestimados, principalmente no segundo turno de uma das mais acirradas disputas eleitorais. Eles podem ser essenciais e fatais, e saber utilizá-los pode ser fator decisivo para a vitória.

Os dois candidatos, pelo visto, tem ignorado-os: Dilma Rousseff e José Serra precisam prestar mais atenção neles, valorizá-los, observando-os de perto, matéria por matéria, manchete por manchete e fazer uso desses pequenos, porém, grandes veículos de comunicação. Tais "periódicos" têm o poder e a capacidade de disseminar diversos conteúdos, direcionando-os a um público que, muitas vezes, faz a diferença e pode mudar o rumo de uma campanha e resultado final da eleição.

Os bairristas têm a primazia e oportunidade única, que os grandões, como Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo, entre outros, não possuem: aproximação com os leitores e comunidade a qual pertencem, e a possibilidade de o leitor romper a barreira da redação inalcançável-inatingível, uma vez que abordam, mais especificamente e com mais frequência, os problemas locais dos moradores.

Por conseguirem falar, muitas vezes, de igual para igual, cara a cara e usarem textos empáticos, os jornais de bairro podem derrubar candidatos, ou pelo menos, reduzir as chances de uma candidata ganhar brilhantemente no primeiro turno, por exemplo. Querendo ou não, acabam por corroborar para o desgaste da imagem de um postulante a um cargo eletivo, numa deteminada zona eleitoral.

Veja algumas manchetes e trechos de alguns editoriais de jornais de bairro da zona leste da capital paulista:

"'...porque nesta eleição nem mesmo Cristo querendo, me tira essa vitória...' - disse Dilma"

"Urnas não mentem. Pesquisas, sim - ...como Lula tem horas que pensa que é Deus e outras que tem certeza de que é Deus, tudo é possível."

"O importante é que teremos mais uma oportunidade para demonstrar aos petistas que tomar o poder na 'marra' não é fácil; não se ganha votos só comprando-os com o Bolsa Família."

"...o que nos deixa de alma lavada é que pensavam que já havia ganho e que estavam apenas cumprindo tabela. Até a festa já estava armada em Brasília, mas viram que não é bem assim."

"Por que a zona leste não exerce o direito de ter um legítimo representante em Brasília?"


Esses são alguns exemplos que mostram um pouco do poder de fogo dos pequenos notáveis. Portanto, não há como ignorá-los, não é mesmo? Não são apenas as mídias sociais, como blogs, Orkut, Twitter, Facebook e derivados que podem prejudicar uma determinada candidatura, os jornais de bairro, os ditos comunitários, também possuem grande poder de destruição.

Não subestimemos os pequenos veículos jornalísticos: o resultado pode ser catastrófico.

--
Só para lembrar, já assinou o feeds?

Ae, agora sim 17 comentários...

Nina disse...

Perfeita a sua postagem.
Você disse o que muitos que conheço gostaria de dizer.

Assim o que chega aos menos favorecidos, que é a maior parte do eleitorado, acabam decidindo seus votos.

abração

Seguindoooo....

.:JehFinhO:. disse...

muito legal man como sempre você é fera; parabéns; sucessos a seu blogger;

_________________________________
http://diversao-web.com

Marcos de Sousa disse...

Concordo plenamente com o texto. Os 'pequenos' jornais têm realmente uma grande influência e podem ajudar a virar um jogo político.

Losterh disse...

Acho as estatística uma bobagem sem tamanho. Boto mais fé no polvo Paul, que disse que o Serra ganha essa.

Andre Mansim disse...

Hahahahahaha, quem disse que o polvo Paul falou isso que a menina comentou, hahahahahaha.
Sabe Fernando, eu também acho que jornais pequenos podem ser importantes, mas o problema é que a maioria deles são feitos de matérias pagas, e dirigidas. Um exemplo é aqui em Barretos que tem 2 jornais, um quando é oposição pinta uma Barretos terrível e cheia de problemas, enquanto o outro fala que Barretos é o pais das maravilhas, tipo o da Alice, hahahaha, aí se na eleição proxima, a situação vira oposição, os jornais mudam de lado, hahahaha.
Sem contar as infinitas colunas sociais, que nuuuuuunca acabam!

Desculpe por sumir de vez em quando, mas sempre que dá eu passo por aqui. Seu blog é um dos melhores que conheço e sigo!
Não é a toa que tem um link no meu blog!

palavras ao vento disse...

hoje a comunicação esta em toda parte;;;tudo se torna uma noticia...e mas rapido todos ficam sabendo...

Nicelle Almeida disse...

Exato, meu amigo. Assino em baixo em todas as verdades que vc disse em seu post. Esses periódicos merecem atenção, pois muitas pessoas não têm condições de ter nas mãos os grandes jornais que circulam diariamente. Então, as informações chegam para elas, através destes jornais de pequena circulação, mas que tb contém informações uteis e que são capazes de levar os seus leitores a formar opinião sobre os diversos assuntos tratados em suas páginas.
Um forte abraço e ótima semana =)
Tem post novo lá no blog. Que tal me visitar? hehehehhe
www.nicellealmeida.blogspot.com

juliana disse...

mt legal cara parabéns aee

http://jullyguitar.blogspot.com/

Victor Pagani disse...

Concordo com seu post, quando eu morava na capital os jornais de bairros eram algumas vezes bem melhores que os grandes, apenas não são conhecidos. Como muitos blogs e perfis sociais :)

[]'s

William disse...

O título da postagem é sensacional.
Concordo com seu texto também.
Muitas vezes, o comprometimento dos grandes jornais, desvirtuam informações. fato!
Abraço

www.tocadowilliam.com

Érico Pena disse...

Sensacional meu amigo, como estudante de jornalismo e blogueiro gostaria de lhe parabenizar pelo ótimo post, falou td cara. No meu blog eu tbém to fazendo uma série de matérias sobre as eleiçoes 2010 e acho q essa sua matéria tem td a ver com as minhas recentes. Gostei muito cara e acho q os jornais podem ser pequenos como vc falou, mais o conteúdo é bastante grande e ameaçador. Certa ta a Marina q não apoiou nenhum dos dois hehehe... depois dê uma passada anonimamente no meu blog e deixo o seu comentário se quiser ok. www.blog-do-pena.blogspot.com

Kell Alves disse...

Tb há tanto há se considerar: religião,partidos aliados,banqueiros, imprensa (ufa!) que os candidatos se perdem né?

Kell Alves disse...

Retribuindo a visita e o coment.

farofadeglitter disse...

Pesquisas influenciam votos sim, pois os resultados sendo eles verdadeiros ou não, são divulgados e algumas pessoas preferem escolher o candidato que está liderando, pra “não jogar seu voto no lixo”.
Enquanto isso os candidatos praticamente se estapeiam durante os debates e onde deveriam ser apresentadas propostas, vemos ali a representação de uma rinha de galos (neste caso, um galo e uma galinha).
A Dilma querendo ser a Robin Wood e tirar dos ricos pra dar aos pobres. O serra levando bandeirada e enquanto tudo isso rola, as pessoas assistem, lêem e resolvem em quem vão votar e é até bom que eles ainda não tenham se atentado aos jornais de bairro, senão este também seria mais um meio de ser vinculada toda essa enorme baixaria!

Poeta do entardecer disse...

Realmente, acho importante os pequenos jornais, pois é neles que se encontra as notícias mais verdadeiras. São eles que dão as informações de nosso bairro, as que mais afetam o nosso dia a dia. Grande Abraço. ótimo blog.

Flavio Ribeiro disse...

Essa é uma verdade que eu já tinha observado. Os jornais de bairro conhecem profundamente a realidade de uma determinada região, podendo falar mais diretamente com o leitor.

Boa matéria!

http://www.shitnessbook.blogspot.com

fábio disse...

é verdade algumas dessas coisas ditas nesses jornais tornaram nacionais. e eles tem o poder de destruir sim, mais num pais desanimado e decepcionado como o brasil ,...eles podeem falar o que quiserem nada vai mudar...a palhacada que sera feita no domingo!

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger.

  ©Modificações by Felipe.

TOPO  

BlogBlogs.Com.Br